Dia do rodoviário foi comemorado nesta quarta-feira

Várias placas pela cidade vão homenagear estes profissionais

Comemorando o Dia do Rodoviário, 25 de julho, o SETRERJ, a Autopista Fluminense, a NitTrans e a Ecoponte vão exibir mensagens em homenagem aos profissionais responsáveis por transportar diariamente milhares de pessoas. Mais de 18 mil profissionais trabalham com o transporte rodoviário, como motoristas, cobradores e nas áreas de operação, manutenção e administração, nas cidades de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e Tanguá. Eles transportam 36 milhões de pessoas por mês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jornal Cidade de Niterói, 24/07/18

Setrerj auxilia autoridades no combate a assaltos na região

Assaltos a ônibus aumentam nas regiões de Maricá, Itaboraí, São Gonçalo e Niterói

O tema foi matéria do RJ TV 1ª Edição, da Rede Globo, de hoje.

A reportagem mostrou que os casos de assaltos a ônibus chegaram a cinco por dia só no primeiro semestre do ano na região de Itaboraí, São Gonçalo, Niterói e Maricá. Imagens de câmeras de segurança de um ônibus mostram os assaltantes rendendo motoristas e passageiros dentro dos ônibus.

De acordo com o repórter Diego Haidar, os passageiros estão assustados e os motoristas, traumatizados. Para quem ganha a vida dirigindo ônibus, trabalhar virou sinônimo de preocupação. Eles são orientados a nunca reagir, para a segurança de todos, mas não há como se acostumar com algo que virou rotina: dirigir com uma arma apontada para a cabeça.

Dois motoristas relataram que os casos têm se tornado cada vez mais comum e que eles estão com medo de dirigir sob a mira de uma arma:
“Três assaltantes fizeram sinal num ponto normal, entraram e pagaram a passagem em dinheiro. O primeiro entrou, quando passou na roleta já começou a agredir duas senhoras que estavam na frente, pedindo telefone, carteira, aliança, pedindo tudo e agredindo, sem as pessoas fazerem nada. Roubaram todos os passageiros. É difícil, você olha no retrovisor, vê o cara com a pistola apontando para você, gritando, mandando ir direto, xingando, e você não pode fazer nada, você se sente um nada. A família fica muito preocupada. A gente sai todo dia sem saber se volta, porque assalto todo dia tem, chegar em casa é um alívio”, desabafou um condutor.

“Comigo entraram dois. Um passou, no meu caso usaram até cartão RioCard. Você acha que é pessoa comum, que você para embarcar ou desembarcar, não tem essa regra. Entraram e é terror. Com a arma apontada para mim e, que se eu não fizer, vai acontecer isso, vai acontecer aquilo. Começa a esculachar passageiro, começa a agredir”, relatou outro motorista.
O susto passa, mas o trauma fica. Amanhã é outro dia, mas o risco é o mesmo. Segundo o ISP, foram registrados 938 casos de roubos a ônibus em Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá só no primeiro semestre de 2018, o que representa crescimento de 23% na comparação com o mesmo período de 2017.

O Setrerj criou um banco de dados sobre os assaltos e repassa as informações para a polícia. “A gente atende a população, prestamos um serviço de transporte coletivo. A gente precisa que as autoridades nos ajudem, já que eles têm o poder de polícia”, afirmou Márcio Barbosa, superintendente do Setrerj.

A PM alega que faz o patrulhamento na região, incluindo revistas nas estradas.

Assista aqui.

Setrerj trabalha para apoiar Polícia Militar no combate a assaltos

Cresce número de assaltos a ônibus em Niterói

CIDADE ALERTA RJ, 18/07/2018

Câmeras de segurança de ônibus que circulam por Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, flagraram diversos casos de violência dentro de coletivos. Um levantamento feito pelo Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro aponta um crescimento de 40% neste tipo de crime na grande Niterói. Com um relatório detalhado de cada um dos assaltos praticados nos coletivos, o estudo foi encaminhado para os órgãos de Segurança Pública no Estado. Em nota, a Polícia Militar informou que os batalhões responsáveis pela área realizam, constantemente, abordagens em motos, carros e ônibus com o objetivo de reprimir ações criminosas.