Notícias

Home » Notícias » 7 funções de um Compliance Officer

14/01/2021

7 funções de um Compliance Officer


Por Redação LEC

A cada dia, tem aumentado significativamente a demanda por especialistas em compliance officer. Isso se deve a diversas razões — particularmente à aversão das empresas ao risco depois da crise, a mudança cultural que vem acontecendo aos negócios e, provavelmente, a uma nova onda de empresários que aprenderam com os erros do passado.

Um Compliance Officer ajuda a assegurar que a empresa de forma correta e ética, ao mesmo tempo em que atende aos seus objetivos de negócios. Eles são responsáveis ​​por desenvolver programas de conformidade, revisar as políticas da companhia e aconselhar a administração sobre possíveis riscos. Neste post, citaremos 7 funções desse profissional. Confira!

1. CONSELHEIRO
Esse profissional tem a função de conselheiro, devido ao fato de utilizar toda a sua experiência e todo o conhecimento para tirar qualquer dúvida que possa parecer sobre a forma como os colaboradores e inclusive terceiros devem atuar, inclusive sobre eventuais interpretações do Código de Ética e demais políticas de compliance da empresa. Devem ainda estar sempre abertos a ouvir os eventuais relatos de não conformidade. As empresas precisam ter um canal de denúncias, mas alguns denunciantes podem preferir relatar um fato diretamente ao Compliance Officer.

2. FACILITADOR
Os especialistas em compliance não são obstáculos, mas parceiros. Eles devem manter-se atualizados e conectados com os demais integrantes da organização, a fim de achar a melhor solução: atingir os objetivos, assegurando a existência de princípios de integridade e de ética. A expressão “compliance” refere-se ao termo “conformidade”.

Essa consistência está relacionada ao estrito cumprimento, por parte da organização e de seus parceiros, das normas internas e externas, de forma a garantir a eficácia das operações, reduzir riscos e evitar desvios no cumprimento das normas.

Para mitigar eventuais riscos, o Compliance Office deverá apoiar as demais áreas na análise de riscos das operações que a empresa pretende executar.

3. DEFENSOR
Os profissionais de compliance são os guardiões da perpetuidade da empresa. Devem estar preparados para defender os princípios dos mecanismos de integridade e dos sistemas de compliance. Além disso, eles asseguram que a empresa cumpra as regulamentações governamentais impostas às operações.

Portanto, como um verdadeiro consultor, é sua função “proteger” a companhia e seus colaboradores, direcionando a forma correta de atuação.

4. SENSIBILIZADOR
Para ter argumentos eficazes, o Compliance Officer precisa ter grande poder de convencimento, a fim de que os integrantes da empresa cumpram com o programa de compliance. Vale ressaltar que não apenas durante a implantação do programa, mas principalmente durante o processo de manutenção, a relevância dessa função deve ser mantida.

Isso se deve ao fato de que, para manter a “chama” e envolver os funcionários recém-admitidos na organização, esses princípios devem ser garantidos. O elemento-chave é a continuidade, ou seja, a sustentabilidade do compliance.

5. MONITOR
O monitoramento é um dos pilares de um Programa de Compliance e o Compliance Officer deve monitorar periodicamente as atividades implementadas no programa.

6. COMUNICADOR
Um Compliance Officer deve estabelecer uma cultura ética dentro da empresa Deve comunicar constantemente aos colaboradores e seus terceiros sobre os principais temas/políticas do programa e, ajudando, junto com a Alta Liderança, garantir a cultura ética.

7. CONHECEDOR DO NEGÓCIO
O Compliance Officer deve conhecer o negócio da empresa. Inclusive, o primeiro pilar de um Programa de Compliance é a Avaliação de Riscos. Para este trabalho, o Compliance Officer precisa conhecer bem o perfil da empresa e também, durante a avaliação de riscos, aproveitar as entrevistas para entender os riscos e a atuação de cada área.

Compartilhe:
© Copyright Setrerj 2020 | Todos os direitos reservados.